sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Sarna



     Sarna é uma condição causada por ácaros que pode ser bastante grave, levando até mesmo à morte se o porquinho não receber tratamento.

     O principal causador de sarna em porquinhos da índia é o Trixacarus caviae, um ácaro parasita específico dessa espécie, que cava galerias na pele, se escondendo sob a pele, provocando coceira intensa e muita dor. O Chirodiscoides caviae é um ácaro parasita que habita a base dos pêlos, cuja infestação pode provocar coceira, mas em geral, é uma infestação assintomática. O Trixacarus caviae pode estar presente no porquinho durante muito tempo sem ocasionar sintomas, sendo desencadeada a sarna no caso de o porquinho adquirir outra doença, durante gestações ou em situações de stress, que baixam a imunidade. Por isso é comum haver outras condições em atividade junto à sarna, como a micose.

     As infestações mais graves ocorrem em animais muito jovens ou animais idosos, em más condições de alojamento e alimentação, talvez por terem menos defesa imunológica. Infestações em porquinhos saudáveis costumam ser menos severas. 

     Normalmente, os locais preferidos pelo parasita são pescoço e escápulas (ombros), também podendo ser encontrado no abdome e na parte interna das coxas. Notam-se ferimentos e crostas secundárias às lesões provocadas por mordidas e unhadas em decorrência de coceira. A coceira pode ser tão intensa a ponto de o porquinho apresentar convulsões. Se não houver tratamento, a doença pode levar à morte em algumas semanas. A morte em decorrência da sarna em estágio avançado pode acontecer por desidratação grave devido às feridas e também porque o porquinho pode deixar de comer pela extrema dor e desconforto. 

     A sarna em porquinhos não é transmitida aos humanos ou outros animais. Em raras ocasiões, podem causar alguma coceira temporária em pessoas sensíveis, mas este ácaro não pode se reproduzir ou viver em seres humanos.

Sintomas

Perda de pêlo, com falhas
• Coceira intensa
• Feridas na pele devido à coceira

     Algumas vezes, o primeiro sintoma é apenas perda de pêlo localizada, nem sempre acompanhada de coceira. Com dificuldade, ácaros adultos podem ser vistos a olho nu, mas em geral não se consegue ver os parasitas. Com o tempo, você pode notar seu porquinho se coçando muito – essa espécie de ácaro causa coceira insuportável para o porquinho. Isso pode resultar em perda de pêlos, pele raspada ou mesmo feridas abertas causadas pelo ato do porquinho se coçar ou morder. Coçar uma área da pele infestada por ácaros da sarna pode causar tanta dor e irritação que seu porquinho pode parecer estar tendo um ataque ou mesmo pode chegar a convulsionar. A sarna pode fazer com que seu porquinho seja menos amigável e relutante em interagir com o dono. Infestações graves podem ser fatais. 

Porquinho abandonado, encontrado com sarna em estágio avançado.
Se você suspeita que um porquinho tem sarna, trate a todos imediatamente, pois outros podem ser portadores sem demonstrar sintomas.

Transmissão

     A transmissão acontece principalmente através do contato direto com animais infestados, mas também pode ocorrer pelo alojamento. Ácaros da sarna raramente deixam o hospedeiro, a não ser em caso de superpopulação ou da morte do porquinho hospedeiro, e quando isso ocorre, podem viver até 3 semanas fora do hospedeiro. Já os ovos, que são colocados em tocas na pele, podem sobreviver de forma independente fora do hospedeiro por longos períodos de tempo, podendo ficar por anos no ambiente. Por isso a importância em tratar todos os porquinhos corretamente, mesmo os que não apresentam sintomas, iniciando o tratamento o mais cedo possível, e manter o alojamento sempre muito limpo.

Tratamento

     O tratamento inclui:

• Tratamento de todos os porquinhos da índia, mesmo os sem sintoma, para que não haja re-infestação, com parasiticida próprio e seguro (leia mais abaixo)

• Limpeza do alojamento e acessórios

• Corte das unhas, não deixando pontas afiadas que possam ferir ainda mais a pele

     A confirmação do diagnóstico é feita pelo veterinário, por raspagem da pele. Os parasitas nem sempre são encontrados com facilidade, pois costumam ser pouco numerosos e se localizam profundamente na pele, por isso muitas vezes o tratamento é feito baseado apenas nos sintomas.

     Ivermectina é o tratamento de escolha, sendo o uso tópico (na dose de 0,5mg/kg, aplicado na pele atrás das orelhas) uma forma eficaz e menos agressiva para seu porquinho da índia. Seu veterinário poderá indicar também o uso por injeção ou por via oral (na dose de 0,2mg/kg). São necessárias múltiplas doses porque a ivermectina não mata os ovos, apenas os ácaros. O tratamento deve se prolongar durante todo o ciclo do parasita, que é de 14 dias. Por isso, duas ou três doses, com espaço de 7 a 10 dias entre elas são necessárias. É essencial que a dose seja calculada corretamente de acordo com o peso dos porquinhos da índia a serem tratados.

    A ivermectina não deve ser usada em filhotes com menos de 340 gramas de peso nem em porquinhas que estejam amamentando. Estudos indicam que pode ser usada em porquinhas da índia grávidas.

Consulte seu veterinário. O uso incorreto de ivermectina pode levar à morte.
    Também pode ser usada pipeta de Selamectina (Revolution®, que é eficaz contra ácaros e piolhos), na dose de 10mg/kg, aplicada na nuca ou atrás das orelhas, com uma segunda aplicação 15 dias depois. Observe atentamente a pipeta, pois é vendida em diversas concentrações. Uma dose alta é extremamente perigosa. 

    Alguns criadores utilizam tratamentos alternativos como banhos com uso de sabonetes anti-sarna, como Sarnatyl® (uso veterinário) ou Tetmosol® (uso humano), repetidos no mínimo 3 vezes com intervalos de 4 a 7 dias. Tratamento com banho não deve ser a primeira opção de tratamento, pois no banho os ácaros vão mais fundo na pele, causando mais dor e irritação, além de o banho em si já ser um desencadeante de stress. 

Atenção: Não utilize pós, outros sprays, shampoos ou pipetas, pois estes podem conter elementos perigosos aos porquinhos da índia. Leia sempre os componentes! Muitas medicações seguras pra outros animais são tóxicas para porquinhos da índia.


Referência: Harkness JE, Wagner JE: The Biology and Medicine of Rabbits and Rodents, 4th ed.
V.C.G. Richardson: Diseases of Domestic Guinea Pigs, 2nd ed.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...