domingo, 11 de agosto de 2013

Reprodução - Por que não?

Então, você tem uma porquinha da índia e pensa em colocá-la para cruzar. Ou tem um machinho, e deseja adquirir uma fêmea para companhia. Eis o melhor conselho que você poderia receber:


NÃO REPRODUZA.


Vamos entender melhor?

O primeiro e mais importante fator está relacionado aos riscos:

Porquinhas da índia quando engravidam tem 20% de chance de morte na gestação, parto ou pós-parto.
(Fonte: ACBA - Associação dos Criadores de Porquinhos da Índia, EUA).


Ao contrário do que ocorre com outros roedores, os filhotes dos porquinhos da índia já nascem totalmente formados, representando cerca de 10% do peso da própria mãe. Filhotes assim tão grandes representam fisiologicamente um risco a cada gestação.



Isso quer dizer que cada vez que você intencionalmente coloca sua porquinha da índia para cruzar, você está conscientemente arriscando a vida dela. Aos que criam porquinhos da índia como pet, não é nada coerente. E quanto aos criadores? Eles conhecem esses riscos e lidam com eles. E você?

Vamos supor que ainda assim você decida ir em frente. Vamos analisar algumas outras questões.


♦ Tamanho da ninhada

Você está pensando que sua porquinha da índia deverá ter uns 2 ou 3 filhotes... Mas, o que você faria com 8 filhotes? Sim, pois embora normalmente os porquinhos tenham mesmo 2 ou 3 filhotes por ninhada, esse número pode chegar a 8. 

Pode acontecer de todos os filhotes serem do mesmo sexo. Então, você está prepadado para criá-los em alojamentos sepados quando atingirem 3 semanas de vida? Sim, pois um filhote macho, aos 21 dias de vida, já pode ser sexualmente maduro a ponto de engravidar a mãe. 

Filhotes machos podem ter problemas se enfrentarem a adolescência juntos - você terá alojamento suficiente se for preciso separá-los? Você conhece o tamanho e tipo adequado de alojamento que seus porquinhos da índia devem ter?




♦ O que fazer com os bebês?

- Encontrar boas casas para eles?

Se encontrar boas casas fosse fácil, não haveria porquinhos para adoção esperando por um lar. (Veja o grupo ADOTE um Roedor no Facebook, e a sessão de doações no Fórum Porquinhos BR). Não haveria tantos em feiras e pet shops, amontoados e doentes.

Ah, você acha que tem amigos que querem ter um? Então, por que eles já não tem? Para cada porquinho que você conseguir doar, outro que já existe deixará de conseguir um lar. Muitas pessoas realmente não conseguem um lar permanente para seus porquinhos, quanto mais um lar permanente de qualidade. E o que você considera como um bom lar, pode ser diferente na concepção de outra pessoa; algumas pessoas realmente acreditam que gaiolas vendidas em pet shops são bons alojamentos...

Onde você mora tem poucos porquinhos da índia disponíveis? Esse não é um ponto a favor, e sim contra. Menos porquinhos, menos veterinários especializados na sua região. Mesmo que consiga boas casas para eles, provavelmente não conseguirá bons cuidados veterinários quando mais precisarem.

- Levar para o pet shop?

Isso seria muito, muito ruim. E errado. Primeiramente, se você pensa nessa opção para possíveis futuros filhotes, por que levar a ideia de reproduzir adiante? Já não bastam os riscos para a porquinha mãe? Pet shops não escolhem compradores; porquinhos podem ser comprados para alimentar cobras e répteis. Ou então pode ser comprado por pais irresponsáveis porque o filhinho insistiu muito, afinal, são tão bonitinhos! Pouco tempo depois, este porquinho infeliz estará ainda numa gaiolinha, sozinho, doente, recebendo alimentação errada e sendo jogados para outra pessoa, pois os pais viram o trabalho que envolve ter um animal. É esta a vida que você quer que estes bebês tenham?

- Ficar com todos eles?

Mesmo? Você terá estrutura para ficar com todos os possíveis bebês? Mesmo se for uma ninhada comum, você terá 2 adultos, mais 3 filhotes que logo serão adultos também. Todos a ser alojados levando em consideração o sexo, com alojamento em tipo e tamanho adequado, alimentação correta e cuidado veterinário especializado...

• Um ponto importante: Você entende de genética?

Você conhece os pais, avós de cada porquinho seu, e sabe se possuem genes que possam causar problemas se cruzados? Você sabe que alguns porquinhos, quando cruzados, podem produzir letais? São porquinhos com uma série de defeitos genéticos, como surdez, cegueira, problemas dentários e de órgãos internos. Alguns morrem logo após o parto; outros exigem cuidados permanentes e gastos por anos.


♦ E o que você vai fazer com a mãe e o pai?

Supondo que você já os deixou cruzar, você não poderá mais mantê-los juntos - a menos, é claro, que você seja uma pessoa insensível, afinal, gestações vez após vez podem matar a porquinha. O ideal é que o macho não fique com a fêmea desde que ela esteja grávida, e deve haver pelo menos 5 meses de diferença entre gestações para minimizar riscos. Então você deverá mantê-los em alojamentos separados, cada qual de tamanho adequado... e lidar com a tristeza de cada um deles ao ser separado da companhia.




♦ Vamos supor que você vá ficar com todos...

Isso significa espaço, tempo, dinheiro. Você precisará de mais alojamentos, forração, feno, ração de qualidade, verduras e legumes, e claro, cuidado veterinário. Mais porcos, mais chance de gastos veterinários. Sabe quanto custa uma consulta com um veterinário? Em média, R$ 80 a 120; some a isso exames, remédios e cirurgias e sua conta subirá muito. Se você é dependente financeiro de seus pais, esse já é um motivo forte o suficiente para você esquecer essa ideia de reproduzir seus animais. 




♦ Complicações da gestação e parto?

As considerações acima são no caso de você ter mesmo pensado em seguir com reprodução. Mas lembre-se do fator inicial: sua porquinha pode morrer. Há pelo menos 20% de chance de dar algo errado com a porquinha e mesmo com os bebês. Ela pode precisar de uma cirurgia de emergência. Histórias tristes surgem a cada dia e espero que você não precise passar pessoalmente por uma (caso queira conhecer algumas, pesquise no fórum Porquinhos BR ou no grupo Porquinhos da Índia Brasil no Facebook).

Entenda que a melhor companhia para seu porquinho da índia é um porquinho da índia do mesmo sexo. Assim, ele terá companhia constante e segura e será feliz e saudável.




♦ "Mas se ninguém reproduzir, os porquinhos se extinguirão..."

Acredite, isso não vai acontecer. Os criadores vão continuar reproduzindo, e eles conhecem os riscos; deixe essa "função" para eles. As "fábricas de animais" que fornecem filhotes para grandes pet shops infelizmente não deixarão de explorar animais. E nosso vizinho aqui na América do Sul está neste momento produzindo mais e mais porquinhos da índia - para consumo.




♦ Gosta de porquinhos? Quer ter mais?

ADOTE!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...